As pessoas, muitas vezes, associam o estar magro com o estar saudável. Esse é um grande mito que envolve o universo da obesidade, do sobrepeso e dos programas de dietas e afins. Há pessoas que não possuem “tendências” genéticas para o sobrepeso e muito menos para a obesidade. Você já deve ter visto aquele tipo de pessoa que come bastante e não necessariamente engorda, mas isso não significa que essa pessoa é saudável. Há pessoas que são magras, mas não se alimentam de comidas saudáveis, são sedentárias e possuem excesso de gordura corporal. E aqueles que, além disso, fumam e/ou ingerem muita quantidade de álcool. E ainda vai dizer que simplesmente ser saudável é ser magro? Sem falar naquelas pessoas que possuem distúrbios alimentares (como anorexia e/ou bulimia) e são magérrimas, mas não são nada saudáveis e muitas têm morrido nessa busca doentia pela magreza.

Uma pesquisa do Hospital do Coração de São Paulo (Hcor), divulgada na Folha de São Paulo, comprova essa idéia de que ser magro não é necessariamente ser saudável. Essa pesquisa foi realizada com 26 modelos entre 14 e 24 anos, que estavam desfilando no São Paulo Fashion Week e apontou que elas alimentam-se mal, são sedentárias e possuem excesso de gordura corporal, em sua grande maioria.

Além disso, vários nutrientes são consumidos abaixo da média considerada ideal como, por exemplo, o ferro, que é consumido 11 miligramas diários (o ideal é 18 miligramas) e cerca de 1,7 gramas de potássio por dia (o ideal é 3,4 gramas). Os pratos consumidos por elas possuem excesso de proteínas, além de ingerirem poucas frutas. Algumas, inclusive, são desnutridas, possuem problemas intestinais e metabólicos. E, ainda, apenas 30% das modelos avaliadas fazem exercícios físicos regularmente. Outro dado importante dessa pesquisa é que a metade delas possuíam gordura corporal superior a 20% (acima do considerado recomendado).

Por isso, nem sempre ser magro e ser saudável está diretamente ligado. Uma vida saudável requer alimentação saudável, ingestão de fibras, exercícios físicos e um percentual ideal de gordura corporal (que varia de pessoa para pessoa e gênero). Portanto, se quer perder peso, não simplesmente busque isso isoladamente, mas associe a uma vida saudável.

Um comentário para “Ser Magro e Saudável – Mitos e Verdades”

  1. Daniela

    Na verdade, os magros pensam que são os mais saudáveis em relação às pessoas que tem peso acima da média porque tem uma estabiidade no peso. Pensam também que tem um equilíbrio na alimentação. Portanto, este tipo de conceito não passa de um tabu.

    Responder

Trackbacks/Pingbacks

  1.  Comer de Noite: O Assalto à Geladeira dos Comedores Noturnos

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)